Na vida e no papel: casais dizem sim em casamento comunitário durante o Justiça Cidadã especial em Mateiros

Na vida e no papel: casais dizem sim em casamento comunitário durante o Justiça Cidadã especial em Mateiros

O Justiça Cidadã montou o altar para 14 casais dizerem sim na noite desta segunda-feira (18/11), última atração da caravana especial do projeto que desembarcou em Mateiros, município da região do Jalapão. O casamento comunitário foi realizado por meio da parceria entre a Associação de Registradores de Pessoas Naturais do Tocantins (Arpen), o Tribunal de Justiça do Estado (TJTO) e a Prefeitura local.

“Nós firmamos uma parceria com a Arpen para facilitar a realização desses casamentos como parte das ações do projeto Justiça Cidadã. O Judiciário vai pagar as despesas do casamento, e a Arpen vai proceder com a regularização”, explicou o presidente do TJTO, desembargador Helvécio de Brito Maia Neto.

O casamento comunitário é realizado de forma gratuita e ajuda a legalizar o estado civil dos casais. “Vai trazer estabilidade à vida de vocês. Permite que a união estável se consolide em casamento”, acrescentou o desembargador durante a cerimônia.

Para o presidente da Arpen, Ney Querido, a ação ajuda a realizar o sonho dos casais que, muitas vezes, não têm condições de arcar com as custas de um casamento. “Eu sei que é o sonho de muitos casais que já vivem juntos ou querem contrair núpcias, mas esbarram na questão financeira. Não queremos que as pessoas deixem de realizar esse sonho por falta de dinheiro. Queremos que esse projeto se realize em todos os municípios do Estado”, declarou.

A primeira dama do município, Mariane Tavares Martins, comemorou o evento. “A partir de hoje vocês estão legalizados aqui na terra e também no Céu. Pra mim é uma felicidade muito grande. Hoje essas instituições estão dando a vocês a oportunidade de realizar um sonho”, enfatizou.

Realizando sonhos

“Tínhamos muita vontade de sermos casados no civil e, quando soubemos do casamento comunitário, não poderíamos perder essa oportunidade”, declarou Adão Rocha Braga, de 71 anos, que já é casado há 43 anos no religioso com Maria Helena Alves dos Santos, de 63 anos, e que agora também assina Braga.

Eles têm um casal de filhos, e um deles também se casou nesta noite. “Com certeza esse momento renova nossos votos de casamento e é mais uma realização na nossa vida”, completou o noivo, que ainda brincou: “Estamos até pensando em encomendar um bebê nessa nova noite de núpcias (risos)”.

Realização também para o jovem casal João Paulo Castro de Araújo, de 24 anos, e Michele Maria da Silva, de apenas 17. Eles já estão juntos há dois anos e têm um filho de sete meses, mas, por causa da idade, ela precisou da autorização legal da mãe.

“Eu não queria a união estável, eu quero é casar com ela”, declarou o noivo apaixonado. “A gente já estava pensando em se casar e, com essa oportunidade do mutirão, ficou bem melhor”, completou a noiva.

Para eles, a ação facilitou a realização do casamento, já que não precisarão ir a Ponte Alta para fazer o registro civil e nem pagar as custas cartorárias. “Esse mutirão é de fundamental importância, porque o nosso município não tem cartório, temos que nos deslocar para Ponte Alta, mas, como veio aqui, a gente resolveu adiantar. E economiza mais, porque se a gente não fosse casar aqui, seria R$ 700 pra gente desembolsar e agora saiu de graça”, comemorou João Paulo. O jovem casal levou ainda mais um bônus, via sorteio: noite de núpcias em um hotel da cidade.

Texto: Jéssica Iane / Foto: Rondinelli Ribeiro

Comunicação TJTO

20191118-casamento-mateiros8
20191118-casamento-mateiros7
20191118-casamento-mateiros6
20191118-casamento-mateiros5
20191118-casamento-mateiros4
20191118-casamento-mateiros3
20191118-casamento-mateiros2
20191118-casamento-mateiros1


Imprimir   Email